Não existe uma única autoridade no exterior para o reconhecimento de diplomas estrangeiros e outras qualificações. Os acordos internacionais, a prática dos sistemas educacionais e o mercado de trabalho de cada país reconhecem a existência de diferentes autoridades competentes para questões de reconhecimento de diploma, o que pode variar também de acordo com o estado do país onde você deseja trabalhar.

Validar diploma brasileiro no exterior: as entidades reconhecidas

Cada país tem diferentes maneiras de validar diplomas estrangeiros. Pesquisamos os principais países para os quais os brasileiros interessam a revalidação do diploma: países da União Européia, Canadá, EUA, Austrália, e Japão, e encontramos algumas instituições que quase sempre estão envolvidas nesse tipo de revalidação. Cabe lembrar aos interessados que é importante consultar no consulado ou embaixada do país para verificar o processo específico, pois aqui só damos o panorama geral da validação em outros países.

As entidades geralmente envolvidas são:

  • Escolas e universidades: instituições de ensino para estudantes que procuram estudar no exterior em programas profissionalizantes, de graduação, ou pós graduação. Entram aqui também secretarias e ministérios da educação de cada país, que podem envolver provas ou outros critérios para a validação dos diplomas.
  • Empregadores: empregadores podem, em alguns casos, reconhecerem os diplomas para os indivíduos que procuram trabalho e que estão apresentando graduações ou outras qualificações obtidas no exterior.
  • Entidades estaduais ou nacionais: órgãos responsáveis por fiscalizar e acompanhar o exercício de certas profissões podem ter a responsabilidade de validar o diploma de um indivíduo no estado ou país de destino.

Muitas, se não a maioria dessas autoridades competentes, por sua vez, dependem de recomendações de comparabilidade de especialistas que sejam preparadas por serviços de avaliação do currículo e diploma, que são organizações independentes que realizam análises de qualificações não realizadas no país de destino e emitem recomendações sobre como uma qualificação específica se compara a uma qualificação ou conjunto de qualificações similares no sistema de educação, no mercado de trabalho ou nas profissões do país para o qual se deseja a revalidação. As avaliações variam de acordo com a complexidade da análise e a quantidade de documentação disponível, e geralmente são pagos pelo indivíduo ou ocasionalmente por um empregador. Vale lembrar de tomar cuidado com essas instituições e só utilizar os serviços daquelas recomendadas pelo consulado ou embaixada do país de destino.

Como validar seu diploma no exterior

A certificação de diplomas estrangeiros varia entre os países, mas o processo é bem semelhante para todos eles. (Foto: Study Abroad)

Avaliação de diploma e currículo para validar diploma brasileiro no exterior

Se o empregador ou o conselho profissional do país ou estado recomendam que você use um serviço de avaliação específico, use o serviço ou um dos serviços recomendados por eles. Novamente, o intermédio do consulado ou embaixada é essencial para entrar em contato com essas entidades.

Se nenhum serviço for recomendado, você poderá selecionar um serviço de avaliação por conta própria. Você pode procurar serviços de avaliação de credenciais na Internet, mas você deve saber que não existe uma regulamentação federal ou estadual de tais serviços, geralmente. No entanto, existem associações nacionais de serviços de avaliação que publicam padrões que podem ser seguidos para encontrar os serviços de melhor qualidade. Embaixadas e consulados geralmente vão recomendar os serviços mais usados, não necessariamente os mais baratos. Um pouco de pesquisa e trabalho para encontrar empresas de qualidade e não desperdiçar o seu dinheiro podem gerar boas economias.

Pontos importantes para lembrar ao tentar revalidar seu diploma no exterior

As avaliações não são gratuitas. O custo variará de acordo com a complexidade do caso e a quantidade de documentação que você pode fornecer. Antes de enviar qualquer documento para um serviço de avaliação, você também precisará obter traduções para a língua materna do país de destino, de preferência de tradutores oficiais reconhecidos por órgãos do governo, como embaixadas e consulados.

Os empregadores avaliam os candidatos para empregos individualmente e procuram muitos fatores para tomar uma decisão, e não apenas seus diplomas. É assim que as avaliações são feitas também para cidadãos nativos. Portanto, você pode esperar que diferentes empregadores e serviços de avaliação possam avaliar você de forma diferente de acordo com critérios próprios. Portanto, nada de esperar ganhar um emprego só porque você tem um diploma de um curso muito procurado no país de destino.

As autoridades de licenciamento profissional avaliam os candidatos em uma base de casos individuais e devem aplicar a lei específica para a revisão de cada caso. As leis estaduais variam em muitos lugares do mundo, e você pode esperar que diferentes autoridades estaduais possam tomar diferentes decisões quanto ao reconhecimento total ou parcial de suas qualificações. Alguns estados e países, para algumas profissões, não reconhecem as qualificações estrangeiras.

As qualificações educacionais não servem automaticamente como certificações de trabalho profissionais ou qualificações de licenciamento. Tanto empregadores quanto as autoridades de licenciamento geralmente esperam ou exigem etapas adicionais antes de uma pessoa estar totalmente qualificada para trabalhar, tais como experiência profissional, estágios ou exames probatórios supervisionados, educação ou treinamento adicional, além de verificações de antecedentes e possivelmente outras questões importantes.

Os serviços de avaliação fornecem procedimentos para recorrer de pedidos de revalidação de diplomas. Por isso, entre em contato com eles para recuperar suas chances quando há algum problema na validação do seu diploma.

Equivalência acadêmica para algumas profissões é possível quando a revalidação não é permitida

As profissões e ocupações que exigem educação superior não costumam reconhecer exceções ou rotas alternativas à qualificação, a menos que envolvam educação formal que leve à concessão de créditos e / ou graduações. As pessoas que possuem qualificações legais no seu país de origem, mas com base em rotas não-educacionais para o licenciamento, como a adesão a uma sociedade profissional ou treinamento sem créditos podem ter dificuldade em obter o reconhecimento total de tais qualificações.

Existem mecanismos para o reconhecimento parcial da experiência de trabalho e da educação ou treinamento sem créditos. É necessário procurar as associações internacionais que oferecem esses serviços no país de destino. Se você tiver uma qualificação alternativa, equivalente ou não, então você deve discutir isso com qualquer empregador em potencial e com o Consulado do país de destino, pois esse fato pode afetar como e se você se qualifica para vários tipos de vistos. Uma vez que você vá para o país, então você deve discutir com seu empregador ou associação profissional como proceder para obter reconhecimento parcial pelo seu trabalho e treinamento prévio, bem como o que fazer para reduzir o tempo necessário para obter as qualificações exigidas.

Toques finais sobre a revalidação de diplomas

Os procedimentos burocráticos em países estrangeiros podem mudar, e é preciso manter os olhos abertos para os processos necessários. Alguns países apenas equiparam os diplomas. A revalidação também é obrigatória no Mercosul, com cada país tendo suas regras específicas para a revalidação.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas e iremos responder o quanto antes!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)