A genética é um campo de biologia que estuda genes, hereditariedade e variações genéticas. Este campo do conhecimento inclui como os genes são modificados ou estão envolvidos em doenças e no envelhecimento. A genética ambiental examina como os fatores ambientais interagem com os genes para causar as doenças, ou otimizam a adaptação de uma espécie ao seu ambiente.

Um geneticista é uma ciência que estuda genes, incluindo como eles são herdados, mutados, ativados ou inativados. Estudam frequentemente o papel que os genes desempenham na doença e na saúde. Especialistas em genética ambientalista estudam as interações entre genes e fatores ambientais que levam a efeitos adversos à saúde, doenças e envelhecimento. Em ambos os casos, o geneticista precisa fazer uma faculdade para poder exercer as tarefas. Mas vamos conhecer mais sobre esses profissionais.

Engenharia genética: resumo do que faz um geneticista

Os geneticistas estudam a herança de traços genéticos. Eles podem se concentrar nesses eventos no nível molecular, do organismo ou da população. Alguns tratam pessoas com transtornos genéticos. Muitos geneticistas ambientais tentam entender como fatores ambientais ou exposições interagem com genes para causar doenças.

Genética ambiental muitas vezes lida com a epigenética, que é o processo pelo qual partes do genoma podem ser “ligados” ou “desligados” por fatores ambientais externos. Enquanto muitos traços são definidos fixamente pelos genes, outros são mais flexíveis e podem ou não podem acabar sendo expressos. Por exemplo, se você está predisposto a uma determinada condição ou traço devido à sua constituição genética, você pode ou não desenvolvê-lo. No entanto, estar exposto a certos fatores ambientais, como fatores dietéticos e estresse pode causar essa parte do seu genoma para se ativar e ser expressa. Por exemplo, a genética pode tornar algumas pessoas mais suscetíveis a efeitos adversos à saúde relacionados a fatores ambientais como a poluição do ar. Muitos geneticistas ambientais estudam como essas interações funcionam.

Outros estudam a genética ecológica para expandir a compreensão do papel que a genética desempenha nas adaptações das espécies aos ambientes em mudança. Os geneticistas ecológicos usam a genética populacional para a conservação, manejo e melhoramento genético de espécies. Por exemplo, eles calculam as taxas de reprodução e sobrevivência de uma espécie ou comunidade. Eles usam seus conhecimentos de genética para identificar espécies em risco e aumentar sua diversidade genética. Alguns pesquisam como funciona engenharia genética de plantas que podem se adaptar às mudanças climáticas.

Independentemente da especialidade, a maioria dos geneticistas executa muitas das mesmas tarefas. Por exemplo, eles planejam ou conduzem pesquisas genéticas sobre a expressão gênica e outros tópicos. Eles mantém cadernos de laboratório que registram suas metodologias de pesquisa, procedimentos e resultados. Eles revisam e interpretam resultados de laboratório usando métodos matemáticos e estatísticos. Os geneticistas devem acompanhar a literatura científica para aprender sobre novos métodos, ferramentas e resultados no campo e usar essa informação para melhorarem suas próprias pesquisas. Eles muitas vezes se inscrevem em bolsas científicas ou participam de eventos de angariação de fundos para financiar seus projetos de pesquisa. Eles compartilham seus resultados de pesquisa escrevendo artigos em revistas acadêmicas e apresentando-os em conferências profissionais.

O que faz um engenheiro genético

Um engenheiro genético analisa e acompanha todas as mudanças possíveis nos genes dos seres vivos, e como isso pode ou não impactar no futuro de cada ser. (Foto: Decease… Death… Die…)

Onde um geneticista trabalha?

A maioria dos geneticistas encontra emprego como membros de equipes de pesquisa em laboratórios universitários, agências governamentais e hospitais. Esses trabalhos estão disponíveis em todo o país. O emprego no setor privado é bastante raro. Os geneticistas trabalham uma semana padrão de 40 horas, geralmente em laboratórios de pesquisa e empresas de genética.

Quanto ganha um engenheiro genético?

Um geneticista começa a carreira ganhando uma média de 3 a 4 salários mínimos. Como é uma carreira com muitos poucos formados, há alta demanda por esses profissionais, e o salário pode ser muito maior dependendo da região do país.

Como é o trabalho de um engenheiro genético?

Os geneticistas podem optar por dar aulas em cursos universitários após um mestrado, mas muitos se dedicam à pesquisa aplicada ou teórica em sua área de especialização. Eles avaliam, testam e diagnosticam pacientes que tem condições hereditárias, mutações genéticas e riscos genéticos. Além disso, eles são usados como um recurso para encaminhar pacientes que experimentam complicações genéticas a outros profissionais médicos para tratamento direto de condições genéticas. Embora os trabalhos variem, a maioria dos geneticistas executará uma ou mais das seguintes tarefas:

  • Testar pacientes para marcadores genéticos ou hereditários para uma variedade de riscos e mutações
  • Avaliar e consultar pacientes potenciais sobre riscos genéticos e mutações potenciais, em conjunto com profissionais de medicina
  • Revisar a literatura científica e pesquisas para ficar a par das atualizações no campo
  • Aconselhar pacientes que tem históricos familiares ou pessoais da mutação nos genes, em conjunto com profissionais de medicina
  • Aconselhar pacientes que podem ter genes anormais ou resultados de testes anormais, em conjunto com profissionais de medicina
  • Ajudar pacientes a determinar o melhor tratamento ou plano de ação, em conjunto com profissionais de medicina
  • Consultar outros profissionais sobre como ajudar e acolher pacientes
  • Ajudar colegas com esforços de pesquisa
  • Ajudar com suporte e manutenção de laboratório para garantir que os requisitos de saúde e segurança sejam atendidos

Os geneticistas sênior muitas vezes têm responsabilidades mais amplas que incluem o gerenciamento de um laboratório ou equipe de saúde. Tais responsabilidades incluem:

  • Consultar os tomadores de decisões e outras partes interessadas sobre a utilização e interpretação da informação genética
  • Assessoria a agências e pesquisadores externos
  • Criação de relatórios e artigos científicos para parceiros internos ou externos ou para o público em geral
  • Participar na concepção e desenvolvimento de técnicas de recolhimento e análise de dados
  • Fornecer insumos para programas de software para apoiar a modelagem preditiva de expressões genéticas
  • Planejar, organizar e participar de programas comunitários de extensão para pessoas que foram afetadas por risco genético e mutação
  • Assegurar que os sistemas e métodos de planejamento, análise de dados, modelagem e projeções, a documentação associada e desenvolvimento atendam aos objetivos do grupo de trabalho e das partes interessadas
  • Busca de formas de financiamento e fazer relatórios para administradores seniores
  • Supervisionar orçamentos, marcos e sistemas de equipe
  • Assistir e orientar os membros das equipes
  • Estabelecer protocolos de grupo de trabalho válidos e eficientes
  • Assegurar que os padrões de confidencialidade sejam cumpridos no ambiente de saúde

Qual é a demanda de trabalho para os geneticistas?

A demanda de trabalho para os geneticistas como um todo verá pouca ou nenhuma mudança nos próximos anos, e a concorrência para posições de pesquisa básica será forte. O crescimento provavelmente será impulsionado em parte pelos avanços na obtenção de dados e na computação que permitem a análise de grandes conjuntos de dados genéticos e ecológicos. O interesse crescente pelo meio ambiente e um foco maior nos aspectos médicos da genética também abrirão oportunidades para geneticistas ambientais. No Brasil, há um mercado constante para esses profissionais no setor agropecuário, que é um dos mais avançados no mundo.

Engenharia genética: universidades e faculdades para obtenção do diploma de geneticista

Estudantes interessados ​​na genética ambiental devem prosseguir em um curso de engenharia genética que englobe matérias de biologia, ciência ambiental, ou disciplinas relacionadas. Cursos em biologia, biologia populacional, ecologia, química, matemática, estatística e ciência da computação são todos muito importantes para uma carreira em genética ambiental.

Enquanto um grau de bacharel pode ser suficiente para os trabalhos iniciais na carreira, o avanço e perspectivas de pesquisa de longo prazo exigirão estudo avançados e o desenvolvimento profissional contínuo. Posições de pesquisa independentes e cargos nas universidades geralmente exigem graus de mestrado ou doutorado.

Para se formar nessa área no Brasil, o estudante deve fazer o o curso de Biomedicina, Biotecnologia, ou Medicina com especialização em genética. Há faculdades públicas e privadas para esses cursos.

Você já conhecia a engenharia genética? Está estudando para ser um geneticista?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)