Se um programa, hardware, ou negócio é open source ou não, não importa apenas para os desenvolvedores, isso também interessa aos usuários e clientes. As licenças do código aberto dão aos usuários liberdades que de outra forma não teriam.

Hardware e programas open source: o que significa?

Se um programa é de código aberto, seu código fonte está livremente disponível para seus usuários. Seus usuários e qualquer outra pessoa tem a capacidade de tomar esse código-fonte, modificá-lo e distribuir suas próprias versões do programa. Os usuários também tem a capacidade de distribuir tantas cópias do programa original quanto desejarem. Qualquer pessoa pode usar o programa para qualquer finalidade; Não há taxas de licenciamento ou outras restrições no software. O mesmo vale para hardwares open source, que qualquer um pode desenvolver e modificar a bel prazer.

Por exemplo, várias das distribuições do Linux são um sistema operacional de código aberto. Você pode baixá-los, criar quantas cópias quiser, e entregá-las aos seus amigos. Você pode instalar essas cópias em uma quantidade ilimitada de seus computadores. Você pode criar cópias do disco de instalação do Ubuntu e distribuí-los. Você pode até baixar o código-fonte de um programa no sistema Linux e modificá-lo, criando sua própria versão personalizada desse programa ou do próprio sistema operacional. As licenças de código aberto permitem que você faça isso, enquanto as licenças de fonte fechada colocam restrições sobre você. Um exemplo de hardware de código aberto são alguns modelos de impressoras 3D, como a RepRap, que contam com a comunidade para desenvolver modelos eficientes e produtivos.

O oposto do código aberto são os programas e dispositivos que possuem uma licença que restringe os usuários e os mantém longe de quaisquer modificações possíveis aos sistemas que eles compraram..

Firefox, Chrome, OpenOffice, Linux e Android são alguns exemplos populares de software de código aberto, enquanto o Microsoft Windows e Mac OS são bons exemplos de software de código fechado. No hardware, podemos dizer que as impressoras RepRap, como os modelos Prusa, são bons exemplos de dispositivos de código aberto, enquanto impressoras tradicionais, e smartphones são exemplos de dispositivos de código fechado.

Diferença entre software livre e open source

As aplicações de código aberto geralmente são livremente disponíveis, embora não haja nada impedindo o desenvolvedor de cobrar por cópias do software se eles permitirem a redistribuição do aplicativo e seu código-fonte posteriormente.

No entanto, não é isso que o “software livre” se refere. O “livre” no software livre significa liberdade. O software libre concentra-se na ética e moral de usar o software que pode ser controlado e modificado pelo usuário. Em outras palavras, o campo do software livre concentra-se nas liberdades dos usuários.

O movimento do software de código aberto foi criado para se concentrar em razões mais pragmáticas para escolher esse tipo de software. Os defensores de código aberto queriam se concentrar nos benefícios práticos do uso de software de código aberto que atrairia mais as empresas, e não a ética e a moral.

Em última análise, os defensores de código aberto e de software livre estão desenvolvendo o mesmo tipo de software, mas não concordam com a mensagem que cada um deles passa. Essa filosofia, com o tempo, foi repassada para o desenvolvimento de hardware e até de modelos de negócios.

Open source

Open source é um conceito relativamente novo, mas já é amplamente utilizado no ramo da tecnologia para o desenvolvimento de software, hardware, e até empresas. (Foto: divulgação)

Open source: exemplos de licenças

Existem muitas licenças diferentes usadas por projetos de código aberto, dependendo de quais os desenvolvedores preferem para seu programa.

A GPL, ou GNU General Public License, é amplamente utilizada por muitos projetos de código aberto, como o Linux. Além de todas as definições acima de código aberto, os termos da GPL especificam que, se alguém modificar um programa de fonte aberta e distribuir um trabalho derivado, eles também devem distribuir o código-fonte para o trabalho derivado. Em outras palavras, ninguém pode tirar um programa do código aberto e criar um programa de código fechado, o mesmo valendo para peças de hardware.

Algumas outras licenças, como a licença BSD, colocam menos restrições para os desenvolvedores. Se um programa estiver licenciado sob a licença BSD, qualquer pessoa pode incorporar o código-fonte do programa em outro programa. Eles não precisam liberar suas mudanças de volta para a comunidade. Isso oferece aos desenvolvedores a liberdade de incorporar o código em seus próprios programas de código fechado, enquanto algumas pessoas vêem isso como sendo menos open source, porque ele tira direito dos usuários finais do programa derivado.

Os benefícios dos modelos open source

O benefício mais óbvio do código aberto é que ele pode ser obtido gratuitamente. O exemplo das distribuições do Linux acima deixa isso claro. E ao contrário do Windows, você pode instalar ou distribuir tantas cópias do Linux quanto desejar, sem restrições. Isso pode ser particularmente útil se você estiver configurando um servidor ou vários computadores, resultando em economias por não ter de pagar a licença para vários programas serem instalados em diferentes computadores em uma empresa, por exemplo.

Um programa open-source também é mais flexível. Por exemplo, uma nova interface de hardware para configurar uma impressora comercial pode não ser ideal para o que você precisa, mas como ela é de origem fechada, você não pode fazer modificações. Agora, em uma impressora de código aberto, as modificações podem ser realizadas para atender melhor ao seus gostos e preferências. O mesmo vale para drones, programas, e até negócios que são criados no modelo open source.

O código aberto também permite que os desenvolvedores criem suas próprias versões de dispositivos e software. Veja os exemplos do Android e Chrome OS, que são sistemas operacionais baseados em Linux e outros softwares de código aberto. O núcleo do sistema operacional OS X da Apple e do iOS também foi criado em código aberto. Vários empresários estão abrindo seus modelos de negócios para aceitar mais sugestões externas e internas, criando empresas muito mais flexíveis e adaptáveis ao mercado.

Esta não é uma descrição exaustiva sobre o open source, mas esperamos que seja o suficiente para que você conheça um pouco melhor esse conceito. Se ficar alguma dúvida, não exite em perguntar nos comentários!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)