A missão Cassini-Huygens, um empreendimento conjunto da NASA, da ESA (Agência Espacial Européia) e da Agência Espacial Italiana é a primeira missão a orbitar Saturno e explorar seus arredores em detalhes. Mas o que foi essa missão e qual foi sua importância?

Nave Cassini Huygens e a missão a Saturno

A missão foi concebida desde o início como um esforço internacional, em 1982, logo após as duas naves espaciais da NASA Voyager terem passado por Saturno. Os voos da Voyager estimulavam o apetite dos cientistas planetários para uma exploração mais aprofundada, particularmente no que diz respeito à misteriosa lua Titã. Lançada em 1997, a Cassini visitou o sistema Saturn depois de chegar lá em 2004, realizando um estudo detalhado do planeta, seus anéis e luas.

A missão entregou a sonda Huygens da ESA a Titã em 2005, onde realizou a primeira descida e aterragem num mundo no sistema solar exterior. Em complemento às revelações deslumbrantes de Huygens sobre Titã, o orbitador Cassini realizou 127 de seus voos próximos de Titã (com muitos encontros mais distantes).

No final de sua missão, a sonda Cassini havia observado quase a metade de um ano de Saturno que tem 29 anos terrestres. As quatro estações do ano de Saturno duram cerca de sete anos terrestres cada, e após a chegada de Cassini a Saturno, o hemisfério norte do planeta estava apenas começando a emergir do inverno. Após sua turnê inicial de quatro anos, a missão da Cassini foi estendida por mais dois anos, para permitir que a espaçonave observasse mudanças (particularmente nos anéis) quando Saturno chegasse ao equinócio e o Sol brilhasse para os anéis. Após o equinócio, a Cassini recebeu uma prorrogação adicional de sete anos. Isso permitiu aos cientistas acompanharem suas descobertas anteriores em Encélado e Titã, e ver como a luz do sol de verão chegava ao hemisfério norte de Saturno e suas luas, enquanto a escuridão do inverno abrangia o sul.

As descobertas da missão Cassini revolucionaram nossa compreensão de Saturno, seus anéis complexos, a incrível variedade de luas e o ambiente magnético dinâmico do planeta. O orbitador planetário mais distante já lançado, a Cassini começou a fazer descobertas surpreendentes imediatamente após a chegada e continua até hoje. Jatos gelados disparam da pequena lua Encélado. Os lagos e mares de hidrocarbonetos do Titã são dominados pelo etano líquido e metano, e complexos químicos pré-bióticos se formam na atmosfera e chovem até a superfície. Estruturas tridimensionais se elevam acima dos anéis de Saturno e uma gigantesca tempestade de Saturno circulou todo o planeta por quase um ano. As descobertas da Cassini em Saturno também alteraram fundamentalmente muitos dos nossos conceitos de como os planetas se formam em torno das estrelas. Quando Cassini terminou, deixou um rico legado científico e de engenharia para todos nós.

Sonda Cassini

A Cassini fez grandes avanços para a exploração espacial e para a ciência como um todo. (Foto: Wikipedia)

Sonda Cassini em Saturno e um vislumbre dos nossos vizinhos

Nós já sabíamos que Saturno era bonito, mas a Cassini conseguiu transformar até mesmo os entusiastas do espaço mais superficial em acólitos saturnianos. A espaçonave conseguiu coletar meio milhão de imagens do sistema durante sua turnê de 13 anos, e o resultado foi uma visão do sistema hexagonal de tempestade de nove meses do planeta, um eclipse de Saturno, um olhar surreal nos anéis do planeta, e muito mais. E não esqueçamos, talvez, a maior parte da imagem da Cassini já capturada: uma imagem da Terra à distância, diminuída pelo imenso brilho dos anéis de Saturno.

Gêiseres de água em Encélado

Quando observamos o hemisfério sul e vimos gêiseres de água, nos surpreendeu e começou a mudar a maneira como vemos a habitabilidade, ou potencial habitabilidade, das luas no exterior. sistema solar. De fato, há muita esperança de que os gêiseres de Encélado sejam apenas um prelúdio para encontrar ingredientes constituintes para a vida na Lua ou talvez tropeçar em sinais da própria vida.

Se os astrônomos tivessem uma noção melhor de que Encélado possuísse gêiseres, a espaçonave teria sido equipada com mais espectrômetros de massa para observar qualquer presença de aminoácidos ou moléculas orgânicas nas plumas de vapor, procurando vida. Combinada com Titã, Encélado abriu nosso paradigma de onde você procuraria a vida no universo.

Cassini e Titã na exploração de vida no espaço

Uma lua com o dobro do tamanho da atmosfera e com o dobro da pressão atmosférica da Terra, é  um corpo celeste verdadeiramente magnífico. Titã é o único outro corpo no sistema solar com líquido em sua superfície, com um oceano de metano líquido que poderia ser um terreno fértil para a vida. Talvez com a vida não tanto quanto a conhecemos, mas isso faz parte do encanto de voltar e explorá-la com mais detalhes.

A gravidade como aliada na exploração espacial

Uma das coisas mais novas sobre a missão da Cassini foi a forma como a NASA utilizou a gravidade para ajudar a mover a espaçonave ao redor do sistema de Saturno mais rapidamente sem gastar muito combustível. A equipe da Cassini descobriu que Titã é uma ferramenta brilhante com a qual a gravidade ajuda a fazer maravilhas para fornecer novas visões e observar de maneiras muito diferentes o planeta e suas luas.

Um sobrevôo de Titã é o que colocou a nave em sua trajetória em direção a Saturno para selar o destino de Cassini. A gravidade ajuda muito a missão da Cassini, e a extensão em que ela foi utilizada para essa missão foi sem precedentes. A agência planeja usar o que eles aprenderam à medida que avançam com a missão Clipper rumo a Júpiter e sua lua, Europa, bem como futuras missões explorando outras partes do sistema solar. A Cassini nos permitiu tornar possíveis essas futuras missões.

Uma missão quase perfeita até o fim

Mas talvez o mais esplêndido de tudo é o fato de que a Cassini foi uma das missões mais bem-sucedidas da NASA. Depois de quase 7,9 bilhões de quilômetros registrados e 162 passagens port Saturno, a Cassini foi um sucesso quase impecável. A Cassini será considerada como um padrão-ouro de exploração não-tripulada do sistema solar e de seus mundos.

Um resumo dos avanços conquistados pela Cassini Huygens

A sonda Cassini da NASA e a sonda Huygens da ESA expandiram nossa compreensão dos tipos de mundo onde a vida pode existir.

Na maior lua de Saturno, Titã, Cassini e Huygens nos mostraram um dos mundos mais parecidos com a Terra que já encontramos, com clima e geologia que fornecem novas maneiras de entender nosso planeta natal.

Cassini era, em certo sentido, uma máquina do tempo. Deu-nos um portal para ver os processos físicos que provavelmente moldaram o desenvolvimento do nosso sistema solar, bem como sistemas planetários em torno de outras estrelas.

A duração da missão da Cassini nos permitiu observar mudanças climáticas e sazonais, melhorando nossa compreensão de processos semelhantes na Terra e, potencialmente, aqueles em planetas ao redor de outras estrelas.

Cassini revelou as luas de Saturno como mundos únicos com suas próprias histórias para contar.

Cassini nos mostrou a complexidade dos anéis de Saturno e os processos dramáticos que operam dentro deles.

Algumas das melhores descobertas da Cassini levou os cientistas a repensar sua compreensão do sistema solar.

A Cassini representou uma impressionante conquista da complexidade humana e técnica, encontrando maneiras inovadoras de usar a espaçonave e seus instrumentos e abrindo o caminho para futuras missões para explorar nosso sistema solar.

Cassini revelou a beleza de Saturno, seus anéis e luas, inspirando nosso senso de admiração e enriquecendo nosso senso de lugar no cosmos.

O que mais vocês conhecem sobre a sonda Cassini-Huygens? Quais outras curiosidades acharam interessante?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)