Hoje em dia, a palavra inteligente está sendo aplicada a qualquer coisa que tenha um processador ou um sensor e uma conexão a uma rede de algum tipo. Você pode argumentar que ter algum poder de processamento de informações e a capacidade de se comunicar com algo torna um dispositivo inteligente. A palavra inteligente também está sendo aplicada às cidades agora. Mas o que significa ser uma cidade inteligente?

Cidades inteligentes: o que são elas?

Em termos gerais, significa uma infraestrutura de informação e comunicação que permite aos dispositivos inteligentes, tais como smartphones, automóveis, termostatos, medidores de água, se ligarem à infraestrutura inteligente para notificação de problemas, sinais de trânsito e informação, sistemas de estacionamento, rede, sistemas de faturamento, melhorando a qualidade de vida e produtividade nas cidades.

Em todo o mundo, as cidades tem crescido em importância com base em sua conexão com recursos naturais e artificiais. As cidades portuárias são centros para rotas de transporte de comércio, e as estradas de ferro, as rodovias, e os aeroportos fizeram das cidades ao redor dessas estruturas conectadas ao mundo. No mundo centrado na informação de hoje, a modernização e a alavancagem da infraestrutura das cidades inteligentes serão vitais para criar soluções para muitas questões para as cidades hoje em conservação de energia, tráfego e mobilidade, segurança e outras áreas, melhorando a qualidade de vida global.

Cidades inteligentes no mundo

Para que não pensemos cidades inteligentes são apenas para países do primeiro mundo, abordagens inteligentes usando tecnologia existente melhora vidas também. Em países mais pobres, como na Índia, o abastecimento de água pode ser imprevisível em algumas cidades. Mas já exitem tecnologias que enviam alertas de mensagens de texto para os residentes das cidades quando a água limpa está disponível e eles podem planejar de acordo para coletar e armazenar água conforme necessário.

Como funcionam as cidades conectadas

As cidades inteligentes são conectadas com os recursos disponíveis, tais como transporte, segurança, fornecimento de luz e água, deixando o povo mais conectado com o que acontece com seu ambiente. (Foto: ZDNet)

Cidades inteligentes: inovação tecnológica no meio urbano nos transportes

O automóvel tem influenciado fortemente cidades que se estabeleceram em grande parte durante o último século. Estradas e automóveis mudaram as prioridades de planejamento urbano em grandes centros e zonas industriais, criando novas áreas de moradia. O advento dos carros inteligentes e conectados também influenciará o planejamento urbano. Mas a capacidade de conectar carros a infraestrutura inteligente também criará novas oportunidades para fazer as coisas de forma diferente e, finalmente, mudar a maneira como pensamos sobre o design e layout das cidades.

Enquanto os aspectos mais divulgados dos carros autônomos são a capacidade de evitar acidentes, a próxima etapa do desenvolvimento dessa tecnologia seria de veículos que podem trocar dados entre si, permitindo reação, evitação ou planejamento de coisas que estão muito adiante ou bloqueadas no caminho. O estágio mais avançado incorporaria as comunicações do veículo para a infraestrutura, onde informações de sensores de estrada e câmeras sobre condições de tráfego, disponibilidade de estacionamento e informações meteorológicas podem ser comunicadas aos carros.

As possibilidades acima levantam a questão de como controlar os diferentes níveis de inteligência de veículos que estarão nas estradas. Isso faz parte da grande questão de planejamento que cidades, municípios e condados enfrentam. Mas em um futuro de veículos e infraestrutura conectados, os carros poderiam viajar muito mais próximos com segurança, reagindo a problemas climáticos ou fechamentos de estradas com mais eficiência, utilizando a infraestrutura rodoviária existente de forma mais inteligente, evitando a maioria dos acidentes devido ao erro dos condutores, e eliminando o tráfego causado por motoristas procurando lugares de estacionamento. Todas essas coisas tem o potencial de grandes impactos positivos sobre o custo de transporte, a segurança e o efeito sobre o meio ambiente.

Embora as oportunidades sejam enormes, os desafios são também grandes. Hoje, os planejadores de transportes estão apenas pensando em conexões entre os carros e infraestrutura, fazendo um planejamento de longo prazo para projetos rodoviários de longo prazo. Além disso, as formas de financiamento da infraestrutura rodoviária de hoje são retrógradas e não voltadas para o futuro. O Governo prefere apagar incêndios do que promover o desenvolvimento do país. Os desafios são muitos para financiar essa rede inteligente nas cidades, mas não estamos longe de ver esses processos começando no país.

Cidades inteligentes e o uso dos recursos

Imagine uma rede elétrica conectada que permite que as empresas redirecionem a energia com base na demanda. Ainda falta é a inteligência para monitorar melhor e controlar o uso de energia em casas, escritórios, fábricas e armazéns, compartilhando essas informações de forma eficaz para gerenciar melhor e conservar a energia.

Em edifícios mais novos, inteligência muito melhor está sendo construída, incluindo o uso de sensores para detectar ocupação e gerenciar sistemas de ar condicionado e iluminação. Empresas de serviços estão cada vez mais oferecendo incentivos para os desenvolvedores de novas construções para conectar seus sistemas à rede, de modo que o consumo de energia possa ser monitorado e controlado pelas empresas para melhor lidar com cargas de pico.

O uso de termostatos inteligentes permitem que empresas variem as temperaturas em alguns graus durante os períodos de pico de carga. Outros aparelhos inteligentes também estão olhando para empregar preços de energia dinâmica, ou seja, preços de energia que variam durante o dia. Por sua vez, para financiar essa rede inteligente, empresas e o Governo podem oferecer incentivos aos consumidores para reduzir custos com aparelhos inteligentes, que podem programar algumas atividades para diferentes horários do dia e assim permitir uma gestão mais eficiente da rede. Isso vale até para o fornecimento de água, que pode gerenciar melhor o desperdício e ajudar a evitar racionamentos.

Especialmente em áreas mais secas, a água é um recurso primordial. Medidores de água inteligentes tem sido adotados mais lentamente devido a seu custo e ao trabalho aumentado para ser adaptado aos recursos existentes. Os medidores de água inteligentes podem detectar vazamentos analisando o fluxo durante um período de tempo e automaticamente relatam problemas à empresa de serviços públicos e ao consumidor. Mesmo sem medidores inteligentes, os utilitários estão conectando dados de faturamento a serviços de aplicativos para ajudar os consumidores a entender melhor e monitorar seu uso.

Serviços públicos e segurança nas cidades inteligentes

Além do trânsito e recursos como luz e água, existem soluções de tecnologia para tornar as cidades mais seguras, mais limpas e melhores. Aplicativos já permitem que moradores relatem acúmulos de lixo, buracos e outros problemas que não sejam de emergência, incluindo até uma foto do problema através de dispositivos móveis. Trabalhadores das cidades podem até tirar uma foto do problema resolvido para postar de volta para que o público saiba o que foi realizado. Outros apps permitem o pagamento da Área Azul a partir de um smartphone. Certos aplicativos podem até mesmo detectar ruas acidentadas enquanto as pessoas dirigem sobre elas e informar a cidade para priorizar reparos.

No lado da alta tecnologia, outras cidades estão partindo para o uso de lâmpadas de rua inteligentes LED. As luzes empregarão câmeras HD que detectam tráfego de pedestres para diminuir e iluminar as luzes para eficiência energética e segurança. As câmeras alimentam o tráfego e os dados do espaço de estacionamento para os sistemas em nuvem, que fornecerão dados analíticos para permitir futuras aplicações possíveis para celulares e veículos. Em outro uso, painéis solares em edifícios armazenarão o excesso de energia em baterias fotovoltaicas que poderá ser compartilhada na rede elétrica.

Cidades inteligentes no Brasil

Historicamente, a tecnologia tem muitas vezes tem resolvido grandes problemas que permitem aos seres humanos avançar para a próxima fase de desenvolvimento. As cidades são a maior invenção da humanidade, em parte porque elas aproximaram as pessoas e promovem o intercâmbio de ideias com pessoas de diversas culturas, habilidades e profissões. Mas como com muitas das invenções do homem, alguns problemas são resolvidos e novos são criados. Se de fato as cidades são uma das maiores invenções do homem, talvez possamos usar a tecnologia da informação para reinventar a cidade para o mundo de amanhã.

No Brasil, as iniciativas de cidades inteligentes são tímidas, mas vem se fortalecendo nos últimos anos principalmente através do uso de aplicativos. Ainda é preciso de incentivos e estímulos para essas novas tecnologias, mas acreditamos que isso vá acontecer rápido e cada vez com maior impacto sobre nosso cotidiano.

Como você está conectado na sua cidade? Já há alguma iniciativa de conexão em rede para onde você mora? Compartilhe conosco o que você está vivendo!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)